DOSSIÊ: FILMES DE ZUMBIS

Postado por Pacha Urbano em 25 de outubro de 2010 em Filmes, Filmes e Séries, Zumbis com as tags , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Vampiros, lobisomens, alienígenas, fantasmas, dinossauros, demônios e até robôs são explorados pelo cinema para nos meter medo. Entretanto, nenhum deles consegue arrancar mais gritos e lágrimas de pavor do que um cadáver putrefato saindo da tumba, arrastando-se até sua porta e grunhindo do lado de fora, de fome e ódio, querendo nos devorar.

O cinema vem explorando o mito do zumbi há anos, assustando-nos, provocando-nos arrepios e vontade de chamar pela nossa mãe, só que foram feitas muito mais porcarias do que pérolas realmente. E esta coluna hoje é pra ajudá-los a entender e apreciar melhor esse gênero de filmes de terror.

Não falaremos de sequências ou de filmes inspirados em videogames. Sem muita enrolação, vamos dividir os zumbis em LENTOS e VELOZES, e a partir daí traçar Os Dez Onze Maiores Filmes de Zumbis e claro, uma série de TV que vem por aí que não podemos perder por nada.

Clique na imagem abaixo e veja o gráfico e saiba mais a respeito de cada filme!


LENTOS

O Zumbi Branco (White Zombie, 1932), de Edward e Victor Halperin, é conhecido como o primeiro filme de zumbi da história do cinema. Na história vemos um casal passar sua boda numa mansão no interior do Haiti, onde o anfitrião, apaixonado pela mocinha, decide transformá-la numa escrava zumbi para atender seus caprichos e tê-la pra sempre ao seu lado. O vilão é ninguém menos que Bela Lugosi, famoso por interpretar o Conde Drácula. O filme é lento, mas foi o precursor do gênero e inspirou gerações posteriores, e claro, serviu de nome para aquela banda de heavy metal.

Trailer: http://www.youtube.com/watch?v=tQV7wOg3hYQ

A Noite Dos Mortos-Vivos (Night of the Living Dead, 1968), George A. Romero. E aqui fazemos um minuto de silêncio em homenagem a todos os mortos presentes em seus filmes. Pronto. George A. Romero é ninguém menos do que o mestre do gênero de zumbis. Existem zumbis antes e depois de Romero. Até mesmo o clipe da música Thriller, de Michael Jackson, foi inspirado em seus filmes. Tudo o que sabemos a respeito de zumbis foi retirado desta sua obra. O mito do zumbi como o conhecemos nasceu ali e virou clichê em outros filmes. A história mostra uma praga de zumbis se espalhando e pessoas refugiando-se numa cabana para sobreviver a qualquer custo dos mortos-vivos. É isso. Mas este filme é tão ousado para a época em que foi feito que há desde nu completo até cenas duradouras de carnificina. Ah, foi o primeiro filme a sugerir uma epidemia zumbi em escala quase global, já que nos filmes anteriores eram sempre problemas locais. Honre as calças que você veste e assista este filme. Pro seu próprio bem.

Trailer: http://www.youtube.com/watch?v=5gUKvmOEGCU

A Volta Dos Mortos (Zombi 2, 1979), do italiano Lucio Fulci, mereceria entrar numa categoria própria, de zumbis spaghetti, mas cabe aqui perfeitamente também. Bom, se os zumbis estadunidenses assustam os italianos assustam muito mais. Fulci levou o gore exposto nos filmes americanos a níveis absurdos de realismo, chegando mesmo a utilizar vísceras de animais mortos e vermes nas cenas e maquiagens do seu filme. O enredo é até bobo: uma mulher vai com um repórter até uma ilha erma investigar o desaparecimento do seu pai. Só que nesta ilha cadáveres são despertados através de rituais vodu. Dilacerações, perfurações oculares com detalhes mórbidos e até mesmo um combate subaquático antológico entre um zumbi e um tubarão. Vai dizer que não ficou com vontade de assisti-lo? Mas já aviso: este filme não é para quem tem estômago fraco.

Trailer: http://www.youtube.com/watch?v=BVD7v2L_roY

A Noite Do Terror Cego (La Noche Del Terror Ciego, 1971), do espanhol Amando de Ossorio, causou tanto assombro que rendeu uma tetralogia de terror zumbi. Inspirado por histórias de terror contadas por sua mãe quando criança, Ossorio nos apresenta a lenda de Cavaleiros Templários que levantam de suas tumbas, e embora sejam cegos num dia específico são atraídos pelos gritos e pela respiração de suas vítimas. As cenas são terrivelmente assustadoras e chegam a perturbar pelo realismo gore em algumas delas. Os zumbis são caveiras enegrecidas que sem dúvida inspiraram Peter Jackson em fazer seus Nazguls, na trilogia Senhor dos Anéis, bem como Alfonso Cuarón e seus Dementadores, em Harry Potter E O Prisioneiro de Azkaban.

Trailer: http://www.youtube.com/watch?v=PS7xmcMnVkg

A Noite Dos Mortos-Vivos (Night of the Living Dead, 1990), de Tom Savini, é uma homenagem fantástica de um aluno ao seu mestre. Tendo trabalhado com efeitos especiais e maquiagem nos filmes de George A. Romero, fez sua estréia como diretor neste remake que não fica devendo nada ao original. Daí você me pergunta: por que vê-lo se é igual ao original? Ora, porque é um filme de zumbi feito por um diretor de efeitos especiais, chegando mesmo a surpreender com o realismo e qualidade nas cenas viscerais dos ataques zumbis. Se isso não é motivo suficiente, não sei o que é. Assista e depois me diga se conseguiu jantar aquele macarrão com almôndegas…

Trailer: http://www.youtube.com/watch?v=r0r7L8tS2L0

VELOZES

Extermínio (28 Days Later, 2002), de Danny Boyle, é um divisor de águas do gênero. No filme acompanhamos o pobre Jim, que um belo dia desperta numa cama de hospital, sozinho numa Londres vazia e assustadora, para em seguida ser implacavelmente perseguido por criaturas violentas e terríveis que correm desesperadamente para despedaçá-lo. As pessoas não se transformam em mortos-vivos, porém, em seres dominados pelo instinto mais primitivo do ser humano: o ódio. Seu roteiro não pode ser considerado um filme de zumbi já que não se tratam de zumbis de fato, entretanto, o clima desolador de uma suposta epidemia global em que pessoas são infectadas através de mordidas e excreções nos remete imediatamente ao mito do zumbi. Mas ao contrário das criaturas vagarosas vemos multidões enfurecidas correndo atrás dos personagens que tentam se defender como podem, preocupados em não serem contagiados pelo sangue espirrado dos infectados. Com edição, fotografia, maquiagem e trilha sonora impecáveis, é sem dúvida o melhor filme de terror dos últimos tempos. Se você ainda não viu, pare aqui mesmo e vá assisti-lo, só volte depois.

Trailer: http://www.youtube.com/watch?v=eunaclr-WgU

Madrugada Dos Mortos (Dawn Of The Dead, 2004), de Zack Snyder, é a comunhão perfeita do universo perturbador e de crítica social dos filmes de George A. Romero com os infectados de Extermínio. Baseado no filme homônimo de Romero de 1978. Em seu filme de estréia na direção, Snyder nos apresenta uma história bem amarrada, com personagens carismáticos, situações de suspense e terror arrepiantes e zumbis frenéticos que correm desembestadamente para cima de suas vítimas para devorá-las. Acompanhamos então a tentativa desesperada de alguns sobreviventes da epidemia zumbi em continuarem vivos trancados dentro de um shopping center, e todas as dificuldades possíveis que isso possa render. Desde abuso de poder dos seguranças do lugar até o velho clichê de filmes do gênero: matar ou não matar um ente querido infectado? É a película perfeita para quem gosta de ação, terror, suspense e mesmo romance. Tá tudo lá. Detalhe marcante para a música de abertura: The Man Comes Around, de Johny Cash. Perfeita para o clima fim do mundo!

Trailer: http://www.youtube.com/watch?v=G6LPWtaI61I

[REC] ([REC], 2007), dos espanhóis Jaume Balagueró e Paco Plaza, é injustamente comparado ao fiasco Bruxa De Blair. O equívoco é fruto da escolha do método narrativo: toda história é contada através de uma câmera de reportagem. No filme vemos a repórter e o câmera de um programa norturno que ninguém assiste acompanhando o trabalho de um batalhão de bombeiros em Barcelona, até eles recebem um chamado para atender a uma senhora que está passando mal num edifício no centro da cidade. Aqui temos de volta o clima asfixiante dos antigos filmes de zumbi, com toda a história se passando dentro de um prédio escuro e apertado. Com reviravoltas e tensão a cada instante, a película nos surpreende por ser tão bem feita que em muitos momentos esquecemos se tratar de um filme, parecendo aqueles programas de perseguição policial da TV a cabo. O final é assustador e sem dúvida inspirou os criadores do videogame Left 4 Dead. Fica a dica.

Trailer: http://www.youtube.com/watch?v=lZpjUnOp5kQ

Legião Do Mal (La Horde, 2009), de Yannick Dahan e Benjamin Rocher, é quase um videogame, já que esbarramos no tema. A história é simples: querendo vingança pela morte de seu parceiro, um grupo de policiais franceses decide assassinar a quadrilha de narco traficantes responsável pelo crime com suas próprias mãos (quer dizer, balas, muitas balas, já que o filme é uma chuva de projéteis do começo ao fim) num edifício abandonado nos subúrbios de Paris. Enquanto põem sua missão em andamento, algo dá errado e os mortos começam a voltar à caminhar sobre a Terra, sem muita explicação, e lá fora um verdadeiro apocalipse zumbi está acontecendo. É ação e terror sem limites com cenas épicas de hordas e mais hordas sendo exterminadas ou exterminando, nos deixando sem fôlego. É a prova de que franceses sabem fazer muito bem filmes de ação ou terror, deixando americanos e ingleses com inveja. Tem traição, violência explícita, mutilações a balde e um veterano da guerra da Indochina. Acreditem, ainda assim consegue ser bom.

Trailer: http://www.youtube.com/watch?v=ILjLdVa1A6E

TERRIR

Existe um gênero de filmes de comédia com zumbis que foi criado na década de 80 conhecida como Terrir. Eu particularmente detesto, porque filme de zumbi pra mim é coisa séria, mas abro exceção para duas obras muito boas. Uma com zumbis LENTOS e outra com zumbis VELOZES, são elas respectivamente:

Todo Mundo Quase Morto (Shaun Of The Dead, 2004), de Edgar Wright, é na verdade uma comédia romântica bem britânica, com todos aqueles personagens desagradavelmente curiosos e aquela narrativa enfadonha típica do gênero, porém, com uma epidemia de zumbis de proporções apocalípticas acontecendo como pano de fundo. O protagonista, Shaun, é um inútil sem amor próprio que todo dia faz sempre a mesma coisa e por conta de sua desatenção e imbecilidade perde sua namorada, no que tenta com tudo o que pode reconquistá-la, mesmo que para isso tenha que sobreviver a um holocausto zumbi sitiados em um pub. Afinal, estamos em Londres. Tudo sempre ao lado de seu igualmente retardado amigo, Ed. Vários clichês e críticas em filmes de zumbi são avacalhadas no bom e velho humor inglês. Sensacional!

Trailer: http://www.youtube.com/watch?v=yfDUv3ZjH2k

Zumbilândia (Zombieland, 2009), de Ruben Fleischer, é uma comédia daquelas que rimos sem parar. São um amontoado de situações ridículas e muitas vezes sem sentido e gratuitas, mas que nos arrancam risadas pelo cinismo do elenco e da história. No filme, vamos acompanhando o encontro de um grupo de personagens desajustados e como eles vão sobrevivendo a um mundo tomado por zumbis. Columbus, o protagonista, inclusive nos ensina o que ele descobriu ao longo desta sua experiência em momentos impagáveis do filme, como por exemplo a importância de se estar em dia com sua saúde física, afinal, quem consegue correr por muito tempo de uma horda de zumbis frenética atrás de você? O filme vai ficando tão surreal que temos até Bill Murray interpretando a si mesmo! É de morrer de rir.

Trailer: http://www.youtube.com/watch?v=071KqJu7WVo

ZUMBIS EM SÉRIE DE TV!

Em 2008 saiu uma mini-série inglesa com este tema, era Dead Set, em que participantes do Big Brother ficam presos na casa enquanto uma epidemia zumbi assolava a Inglaterra. Entretanto, não chegou a impressionar ninguém. A grande promessa vem agora:

Os Mortos-Vivos (The Walking Dead, 2010), de Frank Darabont (que já tinha tirado nosso ar com o sci-fi terror The Mist), a série, que será exibida pela Fox aqui no Brasil, é baseada na história em quadrinhos homônima de Robert Kirkman, lançada aqui pela HQ Maniacs Editora, mostra o policial Rick Grimes. Após acordar do coma em um hospital vazio (isso mesmo, exatamente igual a Extermínio), Grimes dá-se conta que, durante o período em que esteve ausente, o mundo virou de pernas pro ar e quem comanda agora a superfície do planeta são os zumbis. Desesperado, dá início a sua busca para encontrar seus filhos e uma maneira segura de sobreviver um dia mais. A história homenageia todos os filmes do gênero com sequências de horror e drama muito impactantes.

Trailer: http://www.youtube.com/watch?v=yg46DWI_fCE

_______________________________________________

Com o fim do mundo tão perto (se os Maias não derem mancada como Nostradamus será em 2012) o medo do homem é cada vez maior. Tivemos nossa quota de pavor até o fim dos anos 80 de um apocalipse nuclear fruto da Guerra Fria.

Aí entrou a década de 90 e a promessa do fim da raça humana foi jogada no colo das guerras biológicas, mutações genéticas, epidemias, vírus capazes de dizimar populações inteiras em muito pouco tempo.

Essa onda passou e o medo agora reside nas mudanças climáticas, catástrofes naturais de proporções globais.

Porém, a que mete mais medo e que certamente nunca sairíamos vivos, pelo menos no sentido literal da palavra, seria de um apocalipse zumbi.

Agora que vocês já conhecem a nata da cinematografia de zumbis, não têm mais desculpas para serem pegos desprevenidos diante de uma praga de mortos-vivos!

Depois não diga que não avisamos.

Este post foi escrito por Pacha Urbano, que pede que caso seja transformado em zumbi, disparem sem piedade em sua cabeça.